Seção de atalhos e links de acessibilidade

Seção do menu principal

Geral

Sema-MT entrega ‘LI’ para adução do Sepotuba; Poços e Russo serão alternativas na estiagem

Quinta-feira, 12 de Maio de 2022

O município de Tangará da Serra poderá, finalmente, dar início às obras do sistema de adução de água do rio Sepotuba para tratamento e abastecimento à população urbana. A Licença de Instalação (LI) foi liberada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e entregue na manhã desta quarta-feira ao município, durante entrevista coletiva promovida pelo Executivo e pela pasta estadual, na prefeitura.

Participaram da entrega formal o prefeito Vander Masson (PSDB), representantes do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), secretários municipais e vereadores, além do diretor da Unidade Descentralizada da Sema-MT em Tangará da Serra, Jefferson Zucchi. O diretor do Samae, Heliton Luiz de Oliveira, não participou por estar em viagem de trabalho à região Sul do País ( congresso do saneamento).

Autorização

A ‘LI’ autoriza o empreendimento público de acordo com as especificações constantes dos planos, programas e projetos aprovados, fixando cronograma para execução das medidas mitigadoras e da implantação dos sistemas de controle ambiental. Esta é a segunda etapa de um processo denominado “trifásico” pela Sema-MT, composto pelas fases correspondentes à Licença Prévia (LP), pela própria ‘LI’ e, por último, a concessão da Licença de Operação (LO).

A partir de agora, o município realizará licitações complementares para contratação de empresa executora da obra, materiais/equipamentos (como bombas de captação/adução) e obras civis (terraplenagem e escavações). A tubulação já foi adquirida e entregue ao município.

O custo total da obra será de aproximadamente R$ 40 milhões, com estimativa de conclusão para, no mínimo, sete meses. Ou seja, não será nesta estiagem de 2022 que a cidade será servida com a água do Sepotuba.

Alternativas na estiagem

Captação no rio Russo será alternativa para enfrentamento à estiagem na cidade nesse ano.

Com a impossibilidade de entrada em operação do Sistema Sepotuba ainda em 2022, o município busca alternativas para o enfrentamento da estiagem nos poços artesianos e no rio Russo, como já ocorreu ano passado. Há, ainda, a possibilidade do uso de caminhões-pipa, para abastecer a ETA Queima Pé com água do rio Sepotuba.

Segundo informou o prefeito Vander Masson, a cidade contará com três poços artesianos de alta vazão, além da transposição da água do rio Russo e do uso de represas de segurança hídrica localizadas à montante do rio Queima.

O aumento da vazão do Queima Pé propiciado pelos trabalhos de recuperação das cabeceiras do manancial também deverá render resultados positivos para o abastecimento da cidade nesta estiagem.

Segurança hídrica

Captação do Sepotuba entrará em operação somente em 2023.

A captação de água do rio Sepotuba é apontada como solução definitiva para evitar o desabastecimento de água no período de estiagem, em Tangará da Serra.

O sistema de adução consiste numa adutora de 14 quilômetros do rio Sepotuba até a Estação de Captação, Tratamento e Distribuição de Água (ETA Queima Pé). A construção da adutora se dará num trajeto linear com desnível de 150 metros.

O sistema será utilizado como segurança hídrica, entrando em funcionamento somente após constatada a insuficiência de vazão do rio Queima Pé.

Crédito: enfoquebusiness.com.br

Autor: Sergio Roberto.